Tihh Gonçalves

Agora eu preciso partir, tchau!

Agora eu preciso partir, tchau!

Esses dias estava meditando sobre um texto bíblico que gosto muito, que conta a primeira vez que os discípulos de Jesus foram chamados de “cristãos”.

Fiquei imaginando como teriam sido os detalhes dessa história. Hoje é muito comum qualquer “crente” ser chamado de “cristão”. E se alguém perguntar “Como assim, cristão?", a maioria responderia algo como “Sim, eu sou um seguidor de Jesus”.

Mas o que é ser um seguidor de Jesus?

A bíblia fala que Barnabé foi um missionário da igreja primitiva. Ele levou o Evangelho a vários lugares no império romano e foi o mentor do apóstolo Paulo. Aliás, quando Paulo se converteu, ninguém confiava nele por conta de antes ter sido um perseguidor do cristianismo e somente porquê Barnabé teve coragem e confiou em Paulo que ele passou a ser aceito pelos apóstolos e não foi mais excluído da comunidade cristã.

Mais tarde, Barnabé foi enviado para uma igreja que estava crescendo rápido numa cidade chamada Antioquia. Como ele viu que lá teria muito trabalho, chamou Paulo para ir com ele pra ajudá-lo. Durante um ano inteiro, eles se reuniam com a igreja pra ensiná-los. E foi lá a primeira vez que um discípulo de Jesus foi chamado pela primeira vez de Cristão.

Cristão é ser seguidor dos passos de Jesus. É ser como ele. Uma outra tradução que eu gosto é “ser um pequeno cristo”. Fato é que ser cristão é estar tão identificado com o Cristo e tão cheio do Espírito Santo, a ponto de ser quase confundido com Jesus. As pessoas olhavam pra Barnabé e Paulo e diziam “eles são como Jesus”.

Alguns pontos da história me tocaram de uma maneira especial e quero compartilhar nesse texto.

A bíblia diz que Barnabé foi procurar Paulo e o chamou para ir com ele à sua missão e, então, os dois foram pra Antioquia servir ao Evangelho. Simples assim. Barnabé viu em Paulo algo que talvez nenhuma outra pessoa viu. Viu nele um homem transformado por Jesus e alguém essencial pro que Deus estava pra fazer. Podemos dizer que praticamente ali estava sendo o start do ministério apostólico de Paulo. E a peça fundamental foi que Barbabé teve a sensibilidade de ver o que Deus iria fazer na vida e através da vida de Paulo.

E mais que isso, viu e foi em favor dele. O chamou para aquilo que Deus o chamava. Fiquei pensando nas vezes que não tive a sensibilidade de ver além do que meus olhos podem ver. Vezes que por isso deixei de despertar pessoas pra algo que Deus tinha pra vida e ministério delas. Pensei também quantos Barnabés talvez faltaram na minha vida e não me permitiram ir mais adiante.

Outro ponto, é que Paulo ouviu e foi. Ele poderia não ter ido, poderia dizer que estava ocupado, cansado ou dito qualquer outra coisa. Poderia ter dado a desculpa que estava todo mundo contra ele, então ele que não ia perder seu tempo indo onde não queriam ele. Mas ele simplesmente foi.

E pra ir, você precisa deixar de ficar. Ou seja, certamente Paulo teve que decidir deixar coisas pra trás para poder ir nessa missão. Fiquei imaginando quais coisas têm me impedido de simplesmente ir. Algumas coisas precisam ficar pra trás pra que novas coisas possam surgir nas nossas vidas. Paulo tinha recém se convertido e sabia disso. Por isso simplesmente foi. E foi reconhecido como um seguidor de Jesus, um pequeno Cristo.

Agora me desculpe mas eu preciso partir. Rumo a ser como Jesus, um Pequeno Cristo. Tchau!

Com amor, Tihh Gonçalves. ©

Oi. Eu sou Tihh Gonçalves e esse é um espaço onde compartilho um pouco da minha fé.

Podemos dizer que o Nárnia Blog é uma sessão "escondida" no meu site, fazendo referência As Crônicas de Nárnia (que sou muito fã).

🛡️❤️🦁 #PorNárniaEPorAslam

Comentários

O que você achou desse texto?

Deixe um comentário que eu ficarei feliz em responder você.

[comentários utilizando Disqus]